Archive for setembro \24\UTC 2011

Poluição e Saúde II

24/09/2011

Entidades organizam nova atividade com a população, para discutir o tema e encaminhar ações.

Devido ao sucesso da palestra do Dr. Paulo Saldiva (médico, professor titular do Departamento de Patologia da Faculdade de Medicina da USP e referência mundial nos estudos dos efeitos da poluição atmosférica na saúde), o Sindicato dos Petroleiros de São José dos Campos, a Saviver – Sociedade Amigos da Vista Verde e a Ação Eco Socialista decidiram exibir o vídeo da palestra, na íntegra, para quem perdeu.

Depois da exibição, haverá um debate sobre as ações que a população deverá tomar, para melhoria das condições locais de saúde, especialmente nos bairos da zona leste de São José dos Campos.

Não perca!

Data e Local

ATENÇÃO: O EVENTO FOI SUSPENSO AGUARDEM NOVA DATA – SINDIPETRO Sindicato dos Petroleiros de São José dos Campos – Rua das Azaléas, 57- Jardim Motorama – São José dos Campos – SP

Saviver consegue importante vitória

Em audiencia no último dia 14/09, no Ministério Público, a promotora de Justiça Dra.Renata Bertoni Vita, com presença dos representantes da REVAP, após acatar representação feita pela SAVIVER (Sociedade Amigos da Vista Verde) em Maio/2011, determinou um Termo de Ajustamento de Conduta para a realização das medidas necessárias à solução da emissão do mau cheiro, a partir daquela data, estabelecendo um prazo de 45 dias para apresentação de um projeto com cronograma respectivo

Na defesa que a REVAP havia apresentado no processo, segundo relato da promotora, a empresa se colocou como sendo “provavel” a solução do problema. E os moradores que sofrem há anos não aceitam a condição de “provável” solução, mas sim de medidas concretas,objetivas e que eliminem de vez o mau cheiro .

Outro ponto que pesou bastante na decisão de exigir medidas mais competentes da REVAP, foi o fato de que a CETESB, avocada também neste processo, informou ao Ministério Público que “nestes ultimos 10 meses, a REVAP vem apresentando condição crônica de incômodos ao bem estar público aos moradores locais, principalmente dos bairros Vista Verde e Jardim Diamante, por conta de irregularidades operacionais de algumas de suas unidades.”

Vale ressaltar que, nestes ultimos 10 meses, a REVAP foi autuada 9 vezes pela CETESB, entre Multas e Advertencias. É praticamente um recorde, este ano, em relação a todas as outras refinarias da Petrobrás. A SAVIVER não luta por mais multas mas sim pela solução total do problema.

E com isto tudo se avançou mais uma etapa junto ao Ministério Público e continuamos a acreditar nas autoridades da Justiça porque elas por certo serão decisivas para  resolver em definitivo esta vergonhosa situação que sofrem todos os moradores dos bairros do entorno da Refinaria. Esta será uma grande vitória para o Meio Ambiente, para a SAVIVER e sobretudo para a saúde de todos os moradores do entorno. Na realidade, tudo isto visa a melhoria de qualidade do ar que respiramos, um direito mínimo para nossas vidas.

Fonte: Saviver

Carta aberta dos petroleiros à população: Os indicadores de saúde pública e a indústria do petróleo

As condições de saúde dos moradores da zona leste de São José dos Campos são afetadas pelas atividades da Revap (Refinaria Henrique Lage). A incidência de câncer é maior nas áreas de produção de derivados de petróleo e onde tem maior concentração de transito. A informação é do especialista em saúde pública, Dr. Paulo Saldiva, do Hospital das Clínicas de São Paulo, que realizou palestra no Sindicato dos Petroleiros de São José dos Campos em agosto.

A empresa deve tratar bem seus empregados e os moradores do em torno.  

Segundo Dr. Paulo, “os indicadores de saúde atuais no Brasil melhoraram, mas o desenvolvimento tecnológico não trouxe melhorias no controle da poluição. Hoje, quatro mil pessoas morrem por causa da poluição em São Paulo por ano. Isso é mais do que mata a AIDS”.

Ele afirmou que os riscos de se viver em cidades, principalmente as grandes cidades, está ligado à poluição do ar, áreas de calor, risco de deslizamento, tráfego altamente poluente. Parte dos problemas ambientais das grandes cidades passa pela indústria do petróleo.

Nós denunciamos em várias ocasiões e continuamos denunciando a política da Petrobras que privilegia o lucro em função dos riscos. Essa política reduz o número de empregados nas refinarias e impõe uma série de fatores, como: maior risco operacional, falta de controle da emissão de poluentes, manutenção reduzida e terceirizada, pressão e falta de melhores condições de trabalho provocando stress . Cada risco deste pode aumentar os danos para os trabalhadores da refinaria e para a população do entorno.

Danos existem e não há como negar. “A energia engarrafada (oriunda do petróleo) provoca danos até que ponto no entorno? As crianças vão ter prejuízo no desenvolvimento pulmonar, pode haver incidência de câncer pouco maior, grávidas podem perder o bebê”, diz o Dr. Saldiva.

Por isso, toda a discussão que fazemos sobre as atividades da Petrobras ainda é pouco para garantir a saúde de quem gera a riqueza da empresa e de quem vive, principalmente, na zona leste.

Nós temos que juntar forças, trabalhadores e moradores, para exigir da empresa maior controle na produção e contratação de mais funcionários para operar com segurança a refinaria e diminuir a margem de risco das atividades da empresa. A saúde de todos nós está em jogo e, por isso, está é uma luta conjunta!

Fonte: Sindipetro

Anúncios

Extração de areia foi tema de audiência pública. De novo!

14/09/2011

Mais uma vez o assunto foi ressucitado pela Câmara Municial de São José dos Campos – SP e põe em risco o Rio Paraíba do Sul

A audiência começou com a fala dos interessados na mudança da lei, para permitir a atividade no município.

O primeiro expositor, um engenheiro, disse que a mineração na cidade é um mal necessário.

Ao contrário do que dizem, nós não somos radicais nem xiitas. Tanto que concordamos em parte com o que disse o engenheiro. De fato, a coisa toda é mesmo um mal. Essa é a parte que a gente concorda.

Com o resto, não.

As cavas de areia são nocivas e, absolutamente, não são necessárias, a não ser para as empresas que querem explorá-las economicamente, independentemente dos estragos que vão causar.

Os buracos que ficam para a eternidade são assim, como este em Jacareí, também às margens do Rio Paraíba:

Foto: Thiago Leon - jornal "O Vale" (www.ovale.com.br)

Foto: Thiago Leon - jornal "O Vale" (www.ovale.com.br)

Pelo tamanho do buraco, já dá para perceber que a área é irrecuperável. Nem que a gente comece a jogar corruptos ali – acompanhados de algumas ONG’s – vai dar para tampar…

De nossa parte, nós continuamos com a mesma posição que tinhámos há mais de um ano, quando o assunto foi desenterrado. Não vamos discutir nada até que alguém traga um fato novo ou mostre uma cava que foi efetivamente recuperda.

A Ação Eco Socialista fez duas intervenções,  através das combativas e maravilhosas Clarinha e Angélica. Tivemos também o prazer de ter ao nosso lado alguns companheiros e companheiras do movimento O.J.E. – Organização de Jovens e Estudantes, que lutam contra o obsceno aumento que os vereadores deram nos próprios salários, entre outras coisas.

Aliás, a união desses dois movimentos só podia dar certo, como deu. Dá uma olhada no que aconteceu durante a fala da Angélica:

A luta continua

Pelo que a gente viu na audiência, saímos com a impressão de que, pelo menos por enquanto, os vereadores não vão ter coragem de mudar a lei. Muita gente se manifestou contra, incluindo a própria prefeitura, mas os interessados parecem dispostos a insistir nesse  absurdo.

Na audiência, eles recuaram e nem chegaram a se manifestar. Mas certamente eles voltarão. Dá para sentir isso nesse vídeo. Repare no tom sombrio do cara do sindicato patronal dos mineradores:

Podem vir. Estamos preparados!